O gospel, nos anos 90, foi marcado por muitos álbuns de diferentes bandas e cantores gospel, mas alguns deles se destacaram pela qualidade dos louvores.

Esses, você poderá conferir logo à seguir.

01) Princípio – Rebanhão (1990)

Princípio - Rebanhão (1990)

Princípio é o quinto álbum de estúdio da banda de rock cristão Rebanhão, lançado em junho de 1990 pela gravadora Gospel Records em LP e CD, sendo o primeiro álbum cristão do Brasil a ser lançado no formato compact disc.

É considerado, por alguns músicos e críticos da mídia especializada, como um dos melhores trabalhos da banda e um dos clássicos da música cristã no Brasil.

O álbum foi produzido e arranjado pela própria banda, apesar da produção ter sido creditada à Toninho Abbud, empresário da gravadora Gospel Records.

Foi o último trabalho do grupo com a participação de Fernando Augusto, baterista do Rebanhão.

Sua sonoridade mescla vários gêneros musicais, mas a obra é predominantemente rock progressivo, art rock e pop rock.

Dois videoclipes foram gravados, um para a canção “Ele Te Ouve” e outro para a canção “Selo do Perdão”, sendo o clipe deste último produzido para uma campanha de evangelização de Billy Graham no Brasil.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 10º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal como o melhor álbum da década de 1990.

02) Armagedom – Katsbarnea (1995)

Armagedom - Katsbarnea (1995)

Armagedom é o quarto álbum de estúdio da banda de rock cristão Katsbarnea, lançado em 1995.

Produzido por Paulo Anhaia, o disco foi o último de canções inéditas contando com Brother Simion como vocalista, o qual é autor de todas as faixas.

Os principais hits do disco são as canções “Invasão”, que contém oito minutos de duração, “Pra onde você você vai, Brother” e “Gênesis”, que até hoje é uma das mais conhecidas canções da banda.

Com uma forte influência do rock experimental, Armagedom é considerado por muitos como um dos melhores álbuns do rock cristão nacional.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 23º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal como o 2º melhor álbum da década de 1990.

03) Voz e Violão – João Alexandre (1996)

Voz e Violão - João Alexandre (1996)

Voz e Violão é o terceiro álbum de estúdio do cantor João Alexandre, lançado em 1996 pela gravadora VPC Produções.

É considerado por muitos o melhor trabalho do cantor, em que ele interpreta as canções exclusivamente com seu violão.

O repertório contém composições de Sérgio Pimenta, Aristeu Pires, Stênio Nogueira, dentre outros.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 15º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 3º melhor álbum da década de 1990.

04) On the Rock – Resgate (1995)

On the Rock - Resgate (1995)

On The Rock é o terceiro álbum de estúdio da banda brasileira de rock Resgate, produzido por Paulo Anhaia e lançado em 1995.

Geralmente considerado pela crítica e público como o melhor trabalho da banda, é apontado por seus integrantes como resultado de um forte amadurecimento da sua música, devido, principalmente, à influência exercida por Paulo Anhaia ao Resgate.

O álbum foi gravado durante três meses em 1995 no estúdio 43 de forma ao vivo, e musicalmente incorpora os elementos do hard rock, apresentados nos discos anteriores, somados ao heavy metal.

Também é o único disco do grupo com Hamilton Gomes fornecendo vocais principais para músicas.

As composições do disco são variadas. De temas que vão desde a hipocrisia religiosa (“Doutores da Lei”) até a depressão e solidão (“5:50 AM” e “Solidão”), o disco também contém letras com temática de humor (“Fogo” e “Papo de Lóki”), o que seria recorrente em trabalhos posteriores do Resgate.

“5:50 AM” tornou-se o maior sucesso do grupo. Em janeiro de 2014, com a remasterização da discografia do Resgate, o álbum passou a ser vendido em formato digital.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 21º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 4º melhor álbum da década de 1990.

05) Dê Carinho – Cristina Mel (1997)

Dê Carinho - Cristina Mel (1997)

Dê Carinho é o sétimo álbum de estúdio da cantora Cristina Mel, lançado pela gravadora MK Music em 1997.

Veja:  Gospel 90: As Melhores Músicas Gospel Lançadas em 1990

O disco foi produzido pela cantora, Natan Brito e Luis Karam. Responsável pela solidificação da carreira nacional da cantora, Dê Carinho contém a canção “Ao Amigo Distante”, notória em sua trajetória musical.

O CD foi relançado juntamente com o álbum Imenso Amor de Marina de Oliveira em 2003, e em 2008 na íntegra com as 12 faixas originais da época.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 14º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 5º melhor álbum da década de 1990.

06) Resgate – Resgate (1997)

Resgate - Resgate (1997)

Resgate é o quarto álbum de estúdio da banda brasileira de nome homônimo, lançado em 1997.

Com a vontade da banda em produzir um disco com característica vintage, seus integrantes, juntamente com o produtor Paulo Anhaia, investiram em uma sonoridade crua, com experimentações de guitarra.

Sem masterização, o resultado final gerou timbres que, na visão de seus integrantes, são, até hoje, inéditos na carreira do Resgate.

Assim, foi o primeiro disco do grupo com influências do britpop. O baixista Marcelo Amorim disse, em 2011: “O CD não foi masterizado, o Paulo e o Zé apenas checaram os níveis de áudio e a sequência das músicas, isso foi feito na cozinha da casa da mãe do Paulo no computador dele. Por isso, na ficha técnica aparece – Masterização: Mother’s Kitchen. Queríamos um som cru, e foi o que aconteceu. Até hoje, acho esse CD muito atual, na tendência, na linguagem e no som, ele é de 1997. Nunca mais tiramos aquele mesmo som da batera, o Paulo tava inspirado”.

Conhecido por conter muitas das letras mais complexas na carreira da banda, Resgate abandonou o humor apresentando em seu antecessor, On the Rock.

Em janeiro de 2014, com a remasterização da discografia do Resgate, o álbum passou a ser vendido em formato digital.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 50º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 6º melhor álbum da década de 1990.

07) 3 – Complexo J (1991)

3 - Complexo J (1991)

3 é o terceiro álbum de estúdio da banda brasileira de rock cristão Complexo J, lançado em setembro de 1991.

É o disco de maior sucesso da banda, com canções como “Sábado Quente”, “Mais que um Sonho” e “Eu Quero bem Mais”.

O disco, inicialmente, foi lançado de forma independente, por um selo do baterista Martinho Luthero.

Nesta época, a banda encontrou muitos problemas para divulgar e distribuir o disco, fazendo com que não alcançasse o mesmo patamar de vendas dos demais trabalhos.

Mesmo assim, o disco recebeu forte aclamação do público, sendo reconhecido como o melhor disco de sua discografia.

Quando a banda fechou um contrato com a MK Music em 1992, o disco passou a ser distribuído pela gravadora em uma reduzida e rara prensagem que, em 2017, foi remasterizada e editada em canais de streaming.

A canção “Sábado Quente” chegou a ser remasterizada e lançada na coletânea Parece que foi Ontem.

Em uma entrevista, o baixista Murilo Braga diria: “Com todas essas dificuldades, sem apoio da mídia, praticamente no “ouvi dizer”, o disco é falado até hoje. […] Sinto uma grande alegria de ter feito esse trabalho com o grupo. Chegamos a vender 250 discos em 2 noites numa igreja em Santos (SP). Nós éramos os distribuidores…”.

O disco recebeu avaliações positivas da mídia especializada. O jornalista Mauro Ferreira, do O Globo, associou o som do grupo ao 14 Bis e afirmou que “não fariam feio perto de similares profanos”.

O guia discográfico O Propagador atribuiu 5 estrelas de 5 ao disco, quantidade máxima, reiterando que o disco é um “tapa na cara da sociedade”.

Em 2015, foi eleito, por vários historiadores, músicos e jornalistas, por meio de lista publicada pelo Super Gospel, o 13º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 7º melhor álbum da década de 1990.

Cifras Gospel Anos 90Cifras Gospel Para IniciantesCifras Gospel Para TecladoCifras Gospel Para Violão

08) Intimidade – Jorge Camargo (1999)

Intimidade - Jorge Camargo (1999)

Intimidade é o quarto álbum de estúdio do cantor brasileiro Jorge Camargo, lançado em outubro de 1999 de forma independente.

O disco, que é um dos mais importantes da carreira de Jorge Camargo, une sonoridades acústicas e eletrônicas.

Veja:  Gospel 93: Melhores Músicas Gospel Lançadas em 1993

O cantor assinou a produção musical ao lado de Nelson Bomilcar e Marquito Cavalcante.

Em 2015, foi considerado o 34º maior álbum da música cristã brasileira, numa lista compilada por músicos, historiadores e jornalistas e publicada pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 8º melhor álbum da década de 1990.

09) Pé na Estrada – Rebanhão (1991)

Pé na Estrada - Rebanhão (1991)

Pé na Estrada é o sexto álbum de estúdio da banda brasileira de rock Rebanhão, lançado em 1991 pela gravadora Gospel Records apenas como vinil.

Após a saída do baterista Fernando Augusto, que estava na banda há mais de 5 anos, o Rebanhão grava com seus três membros originais, juntamente com Serginho Batera, músico convidado.

É o último álbum com Carlinhos Felix e Paulo Marotta na formação, os quais deixariam o Rebanhão em 1992.

Felix sairia em carreira solo, Marotta por questões pessoais. Sonoramente, o disco mescla rock progressivo, rock experimental e art rock.

Eduardo Mabiala faz participação especial nos vocais em “Nzile Nzulu”. A capa do álbum foi a mais elaborada em toda a carreira da banda, utilizando um mapa de estados da Região Sudeste do Brasil, como São Paulo e Rio de Janeiro.

Quatro faixas do álbum foram remasterizadas e lançadas na versão CD do álbum seguinte, Enquanto É Dia.

Em 1998, a maioria das canções recebem nova remasterização, sendo utilizadas na coletânea O Melhor do Rebanhão, embora o projeto integral nunca tenha sido distribuído no formato compact disc.

Em 2018, foi considerado o 9º melhor álbum da década de 1990, de acordo com lista publicada pelo Super Gospel.

10) Indiferença – Oficina G3 (1993)

Indiferença - Oficina G3 (1993)

Indiferença é o segundo álbum de estúdio da banda brasileira de rock Oficina G3, lançado em 1996 pela gravadora Gospel Records, com produção musical de Paulo Anhaia.

Este álbum angariou seguidores para o Oficina G3 ainda que fossem apenas do ainda obscuro cenário do rock cristão.

O estilo hard rock do trabalho lembra o hard rock dos anos 80, e ainda pode-se notar influências do glam rock, típico de bandas como Bride e Stryper.

O disco tem destaque para a faixa “Glória” que é dividida em duas partes: uma em que é cantada o tradicional hino “Vencendo Vem Jesus” (The Battle Hymn of the Republic) com ritmo de rock, e outra com um solo de guitarra de Juninho Afram.

O disco marca a estreia de Jean Carllos como tecladista da banda e a despedida de Luciano Manga, que sairia para formar um ministério pastoral.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 22º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 10º melhor álbum da década de 1990.

11) Katsbarnea – Katsbarnea (1990)

Katsbarnea - Katsbarnea (1990)

Katsbarnea é o primeiro álbum de estúdio da banda Katsbarnea, lançado em 1990.

Considerado um dos primeiros registros do chamado movimento gospel, o disco trouxe, em sua grande parte, regravações de músicas da demo da banda.

A obra teve como produtor artístico Maurício Domene, produtor executivo da New Voice e ex-integrante do Milad.

Em 2018, foi considerado pelo portal Super Gospel o 11º melhor álbum da década de 1990.

12) Com Muito Louvor – Cassiane (1999)

Com Muito Louvor é o décimo segundo álbum de estúdio da cantora brasileira Cassiane, e o seu mais bem sucedido em vendas.

Por vender mais de 750 mil cópias no Brasil, recebeu da ABPD um disco de platina triplo em 2015.

O disco foi produzido por Jairinho Manhães e recebeu a participação de vários músicos, como o tecladista Mito Pascoal, da banda Novo Som, os ex-integrantes do Rebanhão e do Primeira Essência Rogério dy Castro e Wagner Carvalho, além do guitarrista Toney Fontes e o tecladista Rogério Vieira.

Com Muito Louvor é geralmente mencionado – ao lado de Palavras (1999), de Lauriete – como o registro musical que estabeleceu o termo “pentecostal” nas gravações evangélicas de sonoridade influenciada pelo power pop, e algumas de suas canções foram regravadas por outros cantores, como “Com Muito Louvor” e “Oferta Agradável a Ti”.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 48º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 12º melhor álbum da década de 1990.

13) Palavras – Lauriete (1999)

Palavras - Lauriete (1999)

Palavras é um álbum de estúdio da cantora brasileira Lauriete, lançado em 1999.

Veja:  Gospel Anos 90: Músicas que Marcaram a Cena Gospel nos Anos 90

Sendo um dos seus maiores sucessos, cantados até o dia de hoje, com produção musical de Jairinho Manhães, foi seu primeiro álbum por sua gravadora própria, a Praise Records.

O álbum é geralmente mencionado – ao lado de Com Muito Louvor (1999), de Cassiane – como o registro musical que estabeleceu o termo “pentecostal” nas gravações evangélicas de sonoridade influenciada pelo power pop.

Em 2018, foi considerado pelo portal Super Gospel o 13º melhor álbum da década de 1990.

Anos depois, o projeto foi lançado nas plataformas digitais junto com sua versão instrumental (playback).

Esta edição se diferenciou pela remoção da canção “O Teu Olhar”, que continha um dueto entre Lauriete e seu primeiro ex-marido, Reginaldo Almeida.

14) Exaltado – Diante do Trono (1999)

Exaltado - Diante do Trono (1999)

Exaltado é o segundo álbum ao vivo da banda mineira Diante do Trono, gravado em fevereiro de 1999, na Igreja Batista da Lagoinha, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, e lançado no mesmo mês da gravação.

O disco traz várias canções, dentre cânticos espirituais, que são ministrações cantadas.

A repercussão gerada pelo primeiro trabalho estimulou a gravação do segundo CD, dessa vez com mais composições do grupo e apenas uma versão internacional.

Em fevereiro de 1999, na Igreja Batista da Lagoinha, mais de 7.000 pessoas se reuniram novamente.

A gravação do CD Exaltado contou com a presença de pessoas de outras regiões, e não apenas membros da própria Lagoinha.

O estilo do Diante do Trono se consolidou junto às viagens a vários estados brasileiros e outros países.

Em 2018, foi eleito o 14º melhor álbum da década de 1990, de acordo com lista publicada pelo portal Super Gospel.

15) Pra Cima Brasil! – Milad (1990)

Pra Cima Brasil! - Milad (1990)

Pra Cima Brasil! é o quinto álbum de estúdio do grupo Milad, lançado em 1990, de forma independente.

Este disco não contém a participação do cantor João Alexandre, que deixou o grupo para seguir carreira solo.

O álbum contém várias composições de Elmar Gueiros e Walvir Soares (integrantes do grupo Artecristã).

A obra também é caracterizada por conter várias críticas aos rumos da política brasileira.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 39º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 15º melhor álbum da década de 1990.

16) Coisas da Vida – Carlinhos Felix (1991)

Coisas da Vida é o álbum de estreia do cantor brasileiro Carlinhos Felix, lançado em julho de 1991 pela gravadora Continental (atual Warner Music Brasil).

A obra é uma das mais notáveis de Felix, se destacando pelas canções “Pescador”, “Senhor do Universo” e “Coisas da Vida”.

Além de relançado em CD, foi distribuído em formato digital após vários anos de seu lançamento.

O músico Pedro Braconnot, na época seu companheiro de banda no Rebanhão, colaborou nas gravações juntamente ao guitarrista Paulinho Guitarra.

E, segundo Carlinhos Felix, o projeto foi elogiado por músicos não cristãos e pela crítica especializada.

Em 2015, foi considerado, por vários historiadores, músicos e jornalistas, como o 32º maior álbum da música cristã brasileira, em uma publicação dirigida pelo Super Gospel.

Mais tarde, foi eleito pelo mesmo portal o 16º melhor álbum da década de 1990.

Compartilhe Esta Página: